Publicada em 14 de Outubro

A tal Imagem Pessoal

Você provavelmente já ouviu a velha metáfora: “quem não é visto, não é lembrado”.

Ela é uma das principais máximas do marketing pessoal. Mas apenas ser visto não é o suficiente, pois a imagem não se constrói do dia para a noite. É necessário lapidá-la, planejá-la, construí-la e principalmente saber se comunicar.

 A imagem de uma pessoa é o seu maior patrimônio, abre caminhos e traz oportunidades. 

Não existe uma “receita de bolo”, mas podemos seguir alguns passos:

Construir uma autoimagem positiva e otimista, pois a maioria das pessoas, esquivam-se daqueles que estão sempre mal humorados ou torcendo para tudo dar errado. Cuide da sua comunicação e apresentação pessoal, pois estes são o seu cartão de visitas.
Demonstrar iniciativa, persistência e motivação em tudo que faz. Certamente isto trará a atenção das pessoas, identificando-o como alguém interessante e interessado. Fique atendo ao receber um feedback.
Utilizar o bom senso para distinguir aquilo que é possível fazer e o que não irá comprometer sua essência. 
Mais do que gostar do que faz, é importante fazer bem feito. 
A nossa imagem é formada por alguns fatores básicos como aparência, comportamento e comunicação.
A aparência é mais que uma ferramenta no dia a dia profissional, portanto, use-a a seu favor.
O comportamento é um fator importantíssimo. Evite atrasos crônicos, mesmo contendo uma boa justificativa, transmitem forte ideia de descaso ou incapacidade de cumprir prazos.
A dificuldade em comunicar-se, transmite a ideia de bloqueio para dialogar ou relacionar-se. Também demonstra falta de espírito de liderança.

Diante do mundo competitivo é ilusão achar que reconhecimento vem com o tempo. Se você não constrói sua marca pessoal, não desenvolve uma rede de relacionamentos, não controla a impressão que causa nas pessoas, suas metas de crescimento profissional se tornam tão distantes como se nunca tivessem existido.

Para vender a sua imagem, suas ideias e o seu talento, não basta apenas convencer as pessoas sobre o quanto você é capaz, você precisa “ser” realmente o produto que está vendendo. Então, como podemos nos destacar e preservar nossas características? Evitando a busca de ser aquilo que não somos.

É preciso fazer-se notado! Não simplesmente ser notado, mas ser notado por suas qualidades, habilidades e competências. 

 

Esqueça o velho ditado: “falem mal, mas falem de mim”.